26.3 C
São Paulo
sexta-feira, 12 abr, 2024
Portal Big ABC by Juliana Bontorim
Colunista Gabriela Freitas Informações Principal

Artigo: Liderança feminina fortalece crescimento empresarial

#cheers #hellofolks

O ditado popular:  “A mulher sábia edifica o lar” é conhecido pela maioria das pessoas e deveria sofrer uma mudança ao acrescentar a liderança feminina no âmbito corporativo é sinal de boa gestão e crescimento. Ao redor do mundo a presença feminina nas grandes corporações, liderando equipes e trazendo resultados positivos nas gestões, é sinal de prosperidade em períodos que o mundo tenta aliviar-se da crise iniciada em 2009.

“As mulheres estão desbravando seus espaços no mercado financeiro assim como nos demais segmentos. Acredito que as mulheres possuem um diferencial agregador que é o comprometimento profissional e pessoal com os números”, comenta Thais Ramos, empreendedora da Não+Pelo no Brasil, empresa do segmento da beleza e estética.

Porém, embora pesquisas apontem este diagnóstico favorável para o “antigo sexo frágil”, o número de mulheres que chegam ao topo da empresa e senta na cadeira mais importante ainda é restrito mesmo com a projeção delas ao longo dos anos. No Brasil, 11 milhões de mulheres ingressaram firme no mercado de trabalho. Um estudo recente da consultoria Mckinsey apontou que a equidade de gênero, caso venha mostrar evolução até 2025, cerca de US$12 trilhões devem ser investidos na economia mundial.

O Brasil é o 10º país no mundo com mulheres em cargos de liderança segundo um estudo “Women on the Business 2019” da International Business Report (IBR). O estudo apontou que a presença feminina em cargos de liderança foi global crescendo média de 12% em relação ao ano passado. E pela primeira vez a proporção em nível Senior passou dos 25% atingindo 29% ante 24% no ano passado. O estudo é realizado há mais de 15 anos. O universo de entrevistados foi de 4.500 empresas de médio porte em 35 países. A periodicidade do estudo foi entre novembro e dezembro de 2018.

“O mercado financeiro vem despertando o interesse feminino. A mulher, por natureza, é uma gestora, onde 80% das decisões de compras no mundo passam pelo crivo feminino. Nós somos movidas ao empreendedorismo em função da busca constante pela independência financeira”, declara a fundadora da primeira franquia da Não+Pelo no Brasil.

O fenômeno mulher no poder é mundial, é uma realidade. Seja na América Latina ou na Oceania, as empresas que têm alguém de salto alto à frente das lideranças corporativas são vitoriosas nos seus respectivos mercados. Segundo a consultoria Mckinsey, as empresas que elevam suas funcionárias aos patamares profissionais mais altos projetam um crescimento de 21% na performance financeira. Austrália (21%), Estados Unidos (19%) e Inglaterra (15%) apresentam o maior número de empresas com mulheres em níveis de liderança.

Na América Latina, a Mckinsey analisou 700 empresas de capital aberto na Argentina, Chile, Colômbia, Panamá, Peru e Brasil. A pesquisa indicou que 64% das empresas possuíam mulheres em cargos de executivos entre 2014 e 2018. Além disso, analisou 700 empresas de capital aberto em seis países latino-americanos: Argentina, Chile, Colômbia, Panamá, Peru e Brasil. Uma pesquisa da consultoria global Great Place to Work (GPTW) com universo de 100 pequenas empresas escolhidas (entre 5 e 99 funcionários sendo 65 pequenas nacionais, 15 microempresas e 20 pequenas multinacionais) apontou que aumento o número de CEOs mulheres diante das grandes companhias – 10% contra 6%.  Um outro relatório do Boston Consulting Group (BCG) indica que as mulheres empreendedoras podem aumentar o Produto Mundial Brito em torno de US$ 5 trilhões, correspondendo duas vezes o Produto Interno Bruto do Brasil. A equidade de gênero deve atingir entre 6% a 8% no Produto Mundial Bruto.

A crescente da liderança feminina fez Thais abrir mão da segurança profissional e investir na Não+Pelo, que surgiu na Espanha em 2007 e passou a franquear internacionalmente em 2008. Em 2010, ela trouxe a rede para o Brasil tornando a rede internacional uma das pioneiras no segmento de Beleza e Estética no Brasil.

“Minha motivação é autoestima, liberdade e independência que levamos para as pessoas, para os consumidores. Coincidentemente, o setor de Beleza, Estética, Saúde e Bem-Estar é o que mais cresce nos últimos dez anos no Brasil, tanto no franchising quanto aos negócios próprios criados por microempreendedores individuais”, salienta a empresária.

Atualmente, a Não+Pelo conta com 291 unidades em todo o Brasil, e a regional São Paulo, que Thais administra, é a maior do Brasil em número de franquias em funcionamento e a número 1 no mundo no faturamento. Em 2018, a Não+Pelo faturou aproximadamente R$100 milhões no Brasil, e a regional São Paulo representa 25% desse número.

“O diferencial competitivo da Não+Pelo, é ser especialista num setor de tanta descentralização com algo tão importante e que mexe com a autoestima de qualquer pessoa”, conclui Thais.

 

Sobre Thais Ramos:

Thais Ramos é formada em Engenharia Química pela Escola de Engenharia de Mauá, MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (São Paulo). Carreira iniciada na indústria química, cosmética e de bens de consumo. Em 2020 a Não+Pelo completa dez anos de presença no Brasil sendo a pioneira internacional a atuar no franchising nacional.

 

Foto: Divulgação

 

Artigos Relacionados

OSSEL Assistência marca presença na Rigon Experience 2024

Juliana Bontorim

Fundo Social de Ribeirão Pires se torna ponto de coleta de óleo de cozinha

Juliana Bontorim

Shopping recebe magia de Natal do Mundo Bita com iluminação especial

Juliana Bontorim
Carregando....

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Saiba Mais

Política de Privacidade & Cookies
error