21.8 C
São Paulo
segunda-feira, 15 abr, 2024
Portal Big ABC by Juliana Bontorim
Colunista Pedro Irie Filmes Informações Principal

Contém Geek by Pedro Irie: Marvel anuncia nova linha de action figures na BGS 2019

cheers #hellofolks

Os produtos Hasbro Marvel’s Avengers 6″ foram divulgados mundialmente na maior feira de games da América Latina

A Marvel divulgou ontem na BGS – maior feira de games da América Latina – o lançamento global da linha de action figures da Hasbro Marvel Legends 6″. As figuras serão exclusivas e inspiradas no jogo Marvel Gameverse Legends. A previsão de lançamento é para 2020. Confira acima um first look do Iron Man (Homem de Ferro), inspirado no jogo e revestido por sua icônica armadura. Relembre a seguir alguns dos jogos icônicos da série “Versus”.

Marvel Super Heroes  – 1995

Na longínqua década de 90, a Marvel não tinha grana para desenvolver um jogo sequer dos seus personagens, o jeito foi negociar com a Capcom uma série de licenças para a produtora japonesa fazer os jogos e usar os personagens mais icônicos da Casa das Ideias. Um dos primeiros dessa leva foi o Marvel Super Heroes, de 1995. O game era um papa fichas de fliperama e trazia um conceito que a Marvel ainda utilizaria a valer no futuro, as joias do infinito.

X-men vs Street Fighter  – 1996

A Capcom se aproveitou da licença da Marvel e introduziu a série versus com esse famoso Game de fliperama que trazia os famosos X-men contra os lutadores de Street Fighter. Como o non-sense sempre foi marca registrada das franquias da Marvel, aqui temos um fiapo de história para conduzir o primeiro crossover entre Marvel e Capcom, crossover esse que seguiria firme e forte nos próximos jogos da série.

Marvel Super Heroes vs Street Fighter – 1997

Os fãs gastaram caminhões de fichas nas máquinas pressionando botões em X-men vs Street Fighter e a Marvel deve ter pensado: Por que parar nos X-men? Temos mais um montão de personagens para trocar socos com os lutadores de rua da Capcom. Nascia aqui o conceito do que viria a ser a maior ideia non-sense e bem sucedida da história dos games de luta.

Marvel vs Capcom – 1998

A Capcom observou o sucesso que foi o game anterior e deve ter pensado: Por que trazer somente os personagens de Street Fighter para a briga? E assim, abriu seu leque de personagens e para trazer mais universos, além dos brigadores de rua. A capacidade das máquinas não permitia lá muita coisa, mas foi possível trazer Mega-Man, Strider Hiryu, Jin Saotome e Morrigan Aensland dos Darkstalker. Aqui foi introduzido o conceito de ajuda extra que possibilitou um terceiro personagem na peleja, mas esse usava apenas um movimento de ataque e nada mais.

Marvel vs Capcom 2 – 2001

As máquinas do início do século já possibilitaram uma expansão imensa de personagens para essa continuação, que fez um grande sucesso e deixou muito jogador com bolhas nos dedos. São 57 opções de lutadores entre Marvel e Capcom. Agora as batalhas eram decididas em turnos com três personagens, KOF já permitia isso, mas não tinham o non-sense da série MvC, que nessa altura do campeonato já havia conquistado os corações e as fichas dos jogadores de plantão.

Marvel vs Capcom 3 – 2011

Uma década depois do grande sucesso do jogo anterior. Capcom e Marvel juntaram forças outra vez para lançar Marvel vs Capcom 3. Agora o mundo dos games possibilitava lançar as expansões e, esse artifício se tornou a menina dos olhos para as produtoras e o grande vilão para os jogadores. Nesse jogo, por exemplo, a expansão permitia novos personagens e roupas diferentes, mas, ao invés de papar fichas, as produtoras vão direto no número do seu cartão de crédito para liberar esse conteúdo extra.

Marvel vs Capcom Infinite – 2017

A Marvel agora é uma gigante do mundo do entretenimento e provavelmente limitou a Capcom a trilhar um caminho mais comedido na série, adicionou um modo história que é deixado de lado por 9 em cada 10 jogadores e mudou o sistema de 3×3 para apenas 2×2. Os gráficos logicamente são de encher os olhos. Mas, a jogatina desenfreada da época dos árcades já não existe mais e os conteúdos extras pagos estão de volta. A experiência de jogar mais esse jogo da franquia MvC é um exercício de nostalgia e compreensão dos novos tempos, no qual o próximo game de luta pode chegar e arremessar esse no esquecimento mais rápido do que um movimento especial do Akuma. Fica a esperança da Marvel e da Capcom observarem atentamente a NetherRealm Studios para que possam trazer um jogo mais inovador da próxima.

 

Foto: Divulgação

 

Artigos Relacionados

Santo André comemora aniversário com atividades especiais

Juliana Bontorim

Parques de Santo André recebem festival nos finais de semana

Juliana Bontorim

Instituição assistencial realiza Festa Leilão à Pururuca

Juliana Bontorim
Carregando....

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Saiba Mais

Política de Privacidade & Cookies
error