24.1 C
São Paulo
quarta-feira, 22 maio, 2024
Portal Big ABC by Juliana Bontorim
Colunista Pedro Irie Principal

Contém Geek by Pedro Irie: O Geek em tempos de Coronavírus

Estúdios adiaram lançamentos de filmes e a pandemia já afeta a indústria do entretenimento

Com o mundo vivendo uma pandemia causada pelo coronavírus o cotidiano das pessoas tem mudado drasticamente. Ainda que aqui na terra onde canta o sabiá algumas autoridades façam pouco caso da situação, no cenário global a abordagem é outra. Grandes estúdios de Hollywood e festivais de música já adiaram seus eventos e, ao que parece, novos adiamentos vão surgir ao longo das próximas semanas.

Já escrevi aqui que todo nerd não é só nerd porque é fã de sagas espaciais ou criaturas mágicas. O geek é um estilo de vida e esse estilo consiste em nunca ficar somente na superfície quando um assunto aparece rondando nosso cotidiano. Então, como bom nerd que sou fui pesquisar sobre esse vírus que anda habitando o noticiário.

A doença

Num primeiro momento as notícias soam até acima do tom dando a entender que estamos diante de uma tragédia apocalíptica e, que em breve, o cenário das ruas será similar ao de um filme de zumbis. Os números mostram que as mortes por complicações decorridas do coronavírus não são tão altos quanto os causados por tuberculose, hepatite, malária, entre outros.

O maior problema reside na taxa de contaminação e propagação, ainda assim, as faixas etárias entre 60 e 80 anos são as mais afetadas, principalmente se possuírem condições pré-existentes de diabetes e problemas cardiovasculares. Michael Osterholm é diretor do cento de doenças infecto-contagiosas da Universidade de Minnessota e alertou que a maior preocupação não é o que o vírus pode causar no indivíduo e sim o que a grande massa de infectados pode causar nos sistemas de saúde do globo. Ele explica que apesar de taxa de mortalidade ser baixa quando uma região é afetada o número de pessoas que começam a chegar nos hospitais causam um colapso de leitos, equipamento e pessoal.

Portanto, se você sentir os sintomas e perceber que seu corpo está reagindo bem e combatendo o vírus, fique em casa em isolamento o seu quadro pode estabilizar e você nem precisará ter ido a um hospital. Deixe os hospitais para os quadros mais severos. Muitas pessoas também estão correndo para os hospitais em busca do exame para descobrir se estão infectadas. Acontece que se você não estava infectado essa ida ao hospital pode ter colaborado justamente para você contrair o vírus. Novamente, se sentir os sintomas se isole em casa e evite qualquer aglomeração de pessoas, incluindo hospitais. Logicamente, se seu quadro piorar procure atendimento médico.

Todos nós amantes da cultura pop admiramos nossos heróis e heroínas nos gibis e nas telonas. Porém, quando o mundo real está envolto em uma pandemia causada por um vírus cabe a nós utilizarmos nosso maior poder: o conhecimento. Não repasse textos, vídeos e conteúdos apócrifos que receber nas redes sociais, não colabore para aumentar o desespero em tempos de caos, consulte sempre os órgãos oficiais e mantenha a calma também.

 

Para não correr o risco desse texto entrar na categoria de informações apócrifas segue abaixo as fontes consultadas para escrever a coluna

<https://coronavirus.jhu.edu/>

<https://edition.cnn.com/2020/03/10/opinions/osterholm-coronavirus-interview-bergen/index.html>

 

 

Foto: retirada da internet

Artigos Relacionados

São Bernardo terá implantação de novo acesso em quilômetro da Anchieta

Juliana Bontorim

Idosa de 107 anos vence a Covid-19 após internação

Juliana Bontorim

Psicólogos voluntários realizam atendimentos on-line durante a pandemia da Covid-19

Juliana Bontorim
Carregando....

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Saiba Mais

Política de Privacidade & Cookies
error